| | | |

Direito dos animais: “eles têm a qualidade idêntica aos homens”

por 3/11/2013 18 comentários

Entrevista: Matthieu Ricard, monge budista tibetano, autor e porta voz de S.S.  o Dalai Lama, juntou-se ao manifesto para mudar o status jurídico dos animais. Ele explica ao jornal francês, Metronews, as razões de seu engajamento nesta causa. Tradução do francês para o português de Gleisy Coimbra.

Matthieu Ricard faz parte das numerosas assinaturas do manifesto de um novo status jurídico dos animais na França.

Porque ter assinado este manifesto?

Porque é uma realidade: os animais são seres sencientes, que tem um direito natural de não sofrer ou pelo menos que não os levemos ao sofrimento. É preciso ser cego para não ver que os animais têm as qualidades idênticas aos homens: empatia, bondade, cuidado com os outros seres… Assim, não podemos tratá-los como robôs ou objetos.

O que este reconhecimento poderá implicar?

Reconhecer que são seres sencientes implica na maneira como nós os tratamos. A maldade já é punida por lei. Mas quando se trata de exploração industrial, a lei é muito ampla. Por exemplo, 20 % dos animais enviados à matadouros ainda estão conscientes no momento em que eles são cortados em pedaços. Isto é inadmissível. Sendo considerados como objetos, é uma desculpa fácil de usar a nosso critério. Os humanos matam 1 milhão de animais terrestres e cinco vezes mais de animais marinhos a cada ano. É preciso ver a verdade. Não pode-se ter uma sociedade mais ética deixando de fora uma seção inteira da vida, que são animais.

É preciso, então, acomodar todos os animais no mesmo barco?

Claro, eles são seres sencientes. É preciso reconhecer todos eles como tais. Pessoalmente, eu não faço diferença entre uma vaca e um cachorro. Os porcos são, de certa maneira, mais inteligentes que os chimpanzés, por exemplo. E se os peixes não têm expressão facial, eles têm um mesmo sistema nervoso que faz com que eles sintam dor. Não se pode negar.

Como a religião budista vê os animais?

Como um ser senciente que não têm a mesma sofisticação do homem – chamado de inteligência – mas como ele tenta evitar o sofrimento e atingir o bem-estar. Esta aspiração deve ser respeitada. Neste sentido, a não violência frente aos os animais é uma extensão lógica do que defendemos para os seres humanos.

Clique aqui e leia a entrevista original.

Blog Widget by LinkWithin

| Leia outros posts de


Receba o próximo texto

18 comentários »

  • neuza ladeira disse:

    Concordo com o monge penso da mesma maneira
    neuza Ladeira

  • Jayr Malinverni disse:

    Fico contente em ver um religioso se interessar pela causa animal, já que a maioria das religiões é omissa a respeito

  • Rodrigo disse:

    Existe uma discrepância em relação aos números de animais mortos mencionados no texto (1 milhão de animais terrestres e 5 milhões de animais aquáticos). Na realidade, esses números situam-se na faixa dos bilhões.

    Att – Rodrigo

  • Marcelo disse:

    Penso e ajo dessa forma. E que fique claro, meus pensamentos e ações se pautam em razões morais e éticas, não religiosas.

  • Dorival disse:

    “Os humanos matam 1 milhão de animais terrestres e cinco vezes mais de animais marinhos a cada ano.”
    Essa frase não faz sentido. Os números reais são astronomicamente superiores.

  • maria disse:

    perfeitamente verdadeiro. Eles merecem o nosso respeito e amor, além do cuidado e abrigo.

  • Sheila Avila Gaspar disse:

    Amo os animais, amo a natureza, amo a vida. Precismos cuidar destas maravilhas e proteger tudo que de certa forma é indefeso. Temos que vibrar na energia de amorosidade enfim, precisamos conservar o que temos de mais rico e que nos foi presenteado.

  • MADEL T. LUZ disse:

    fico muito feliz em ter tido acesso a esta entrevista! Na próxima semana farei a conferência de abertura de um Congresso de âmbito nacional, na qual escrevi algumas frases neste sentido…vou me sentir mais amparada citando a fala do monge Matthieu como embasamento de minha opoinião.

    Muito agradecida! madel

  • ines aparecida gomes disse:

    O meu interesse pelo budismo e não por outras filosofias ou religiões, foi por causa dos animais, desde criança vi o sofrimento dos animais, fui criada em uma família que respeitava os animais, mas que por questões culturais, sacrificava algumas espécies para alimento. O natal era um período muito difícil para mim, me escondia para não ver determinadas situações .Busco entender atualmente, mas sou contra a crueldade contra os animais ou qualquer espéecie de vida.Não podemos ficar passíveis diante do sofrimento.

  • Fabio Rocha disse:

    Estou estudando e achando a filosofia do budismo cada vez mais perfeita.

  • aurora disse:

    tenho interesse em estudar o budismo, moro em Joinville, e gostaria que alguém me orientasse aonde procurar um templo. agradeço desde já;

  • Cláudio disse:

    Assim como o budismo, na filosofia há uma tendência maior em buscar os direitos dos animais; são seres que compartilham essa existência a qual estamos inseridos e, merecem toda a nossa compaixão. Esta é uma auspiciosa mensagem de igualdade para com todos nós que compartilhamos o SAMSARA. Grato.

  • Tilda Chalhub disse:

    É muito simples, olhe nos olhos deles, eles falam através do olhar…. cães, galinhas, sapos,….. todos os seres…. eles sabem olhar nos seus olhos e dizer ” ei, estou vendo você, o que quer de mim? e aí meu amigo o que você responde a essas criaturas??? vou te proteger ou te sacrificar????

  • Geya disse:

    20 % dos animais ainda estão conscientes no momento em que estão cortados em pedaços! Estou aqui corrigindo a tradução porque sou de língua materna francesa. Isso é terrível!

  • Maria José Maciel disse:

    OLÁ,
    Gostaria de ser uma voluntaria para trabalho com animais,e que seja nos princípios budista, sou livre,tenho 57 anos,e posso ir morar em qualquer lugar. minha experiencia,profissional,é com hotelaria. mais quero doar-me agora pelo o bem maior dos pequeno irmão.Pois tenho o Dom de ama-los.

    Aguardo uma orientação sobre a onde e como me tornar voluntaria.
    Atenciosamente: Maria José Maciel.

  • O SOFRIMENTO DOS ANIMAIS, A DEGRADAÇÃO DO PLANETA E VEGETARIANISMO. - Buda Virtual.com.br disse:

    […] Matéria publicada na Revista Bodisativa: http://bodisatva.com.br/direito-dos-animais-eles-tem-a-qualidade-identica-aos-homens/ […]

  • Marcelo disse:

    “Os humanos matam 1 milhão de animais terrestres e cinco vezes mais de animais marinhos a cada ano”. É sério, é? O monge não poderia estar mais errado. Só no Brasil, por *dia* são assassinados mais de *14 milhões* de animais para o consumo humano. Só no Brasil. Os mais estúpidos não conseguem ou não querem entender que não haja diferença significante entre um homem e um boi. É inadmissível que tanto este como quele seja destruído para ser transformado em comida. É difícil acreditar que a espécie humana seja tão cruel e miserável assim. Infelizmente, os animais ainda não podem criar um Deus para defendê-los desse genocídio. Tragicamente, o homem aprendeu a fabricar isso há bastante tempo para justificar todo gênero de maldade. Isso é perturbador. Somos uma espécie desgraçada que fracassou moralmente. É só isso.

Deixe seu comentário!

Esse site usa o sistema Gravatar. Para que sua foto apareça, basta se cadastrar.