Fotos: Stela Tredice

Educar para a vida que acontece agora

Stela Tredice relata sua experiência no curso Educação Transformadora na Escola Vila Verde


Por
Revisão: Bruna Crespo

A jornalista e aluna do Lama Samten, Stela Tredice, fez o curso Educação Transformadora: Vivendo a Vila Verde neste mês de agosto, na Escola Vila Verde, que fica no CEBB Alto Paraíso, na cidade de Alto Paraíso de Goiás (GO). Ela aproveitou para investigar se era mesmo possível educar crianças e jovens para a felicidade e a liberdade em uma cultura de paz – num mundo (aparentemente) cada vez mais infeliz e caótico. Encantada com o que viu, constatou que sim – é possível!


Alguém tem algum assunto para compartilhar?”. Toda semana, educandos e educadores se reúnem em assembleia para resolver juntos as mais variadas questões relacionadas à comunidade escolar. A educadora continua: “Quem, voluntariamente, pode ajudar a arrumar os livros na biblioteca?”. Crianças e jovens levantam as mãos. “Posso contar com a ajuda de vocês?”, reforça. Os voluntários respondem “sim!” e ela vai anotando os nomes.

A biblioteca arrumada por alguns educandos para o benefício de todos é apenas um dos inúmeros exemplos de como acontece o processo de ensino-aprendizagem para a formação de cidadãos ativos, críticos, responsáveis e colaborativos. Com a vantagem de não parecer com uma aula convencional.

Estudantes do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental são voluntários na organização da escola. As tarefas de organização dos espaços têm por objetivo trabalhar o conteúdo atitudinal com a instituição. Cuidar do espaço comum é aprender a diferença entre o que é meu, o que é do outro, o que é de todos e o que é de ninguém. Cuidar dos espaços públicos desenvolve o senso de cidadania e de pertencimento. Despertar nos estudantes o sentimento de gratidão a todas e todos que cuidam do nosso espaço é o que sustenta e oferece as condições para que tenham um bom aprendizado. É na prática diária que se compreende a interdependência de uma forma direta e não cognitiva.

O quê, como e quanto eu pretendo estudar?

Norteadora das ações pedagógicas da instituição, a Pedagogia de Projetos torna o estudante responsável por sua própria aprendizagem, exercitando autonomia, desenvolvendo autoestima e assumindo responsabilidades. Em paralelo, cabe ao profissional da educação ser o tutor nessa jornada de aprendizagem. “Nossa ação é ajudar a construir trilhas para o estudante, não trilhos. No modelo de escola tradicional, o papel do professor é aquele que detém o poder do saber, é quem define o que e como fazer, transmitindo os conteúdos definidos. Na proposta da nossa escola, é o estudante quem dá significados aos conteúdos factuais e conceituais, é ele quem define o seu painel de interesses e busca as chaves para a resolução dos problemas que ele mesmo levantou.” – explica o diretor da Vila Verde, Fernando Leão. E ressalta:

“O diferencial da escola é estar estruturada no tripé: Pedagogia de Projetos, Meio Ambiente e Mundo Interno”.

Depois da assembleia, os estudantes que escolheram fazer as “Esculturas de pedras” caminham até o riacho próximo à escola. A saída de campo permite vivenciar o sentido de grupo, foco, equilíbrio, respiração, concentração, texturas, tamanhos, criatividade, observação e cuidado com a fauna e a flora – além de lidar com a frustração quando as pedras caem.

As Cinco Inteligências aplicadas na educação

“Se fazemos o bem para os demais seres e para o ambiente, estamos cuidando de nosso próprio bem. Estamos todos interligados e dependemos uns dos outros.”
—Lama Padma Samten

Com um olhar especial para o mundo interno e a natureza que nos circunda, a missão da Escola Vila Verde, localizada na deslumbrante Chapada dos Veadeiros, é educar pessoas para a felicidade e para a ação no mundo com confiança e consciência de si, do outro e do nosso ambiente. As ações e reflexões são baseadas nestas cinco inteligências:

Acolher: Entender o outro no mundo do outro.
Oferecer: Promover as qualidades positivas do outro.
Estruturar: Ajudar a compreender os obstáculos para seguir um caminho positivo.
Destruir a Negatividade: Não permitir que ações negativas tenham êxito.
Liberar: Compreender nosso potencial livre e criativo.

Estudando para quê?

O aluno da Vila Verde estuda as mesmas disciplinas que o aluno da escola tradicional, previstas pelo MEC, mas com a vantagem de poder escolher em qual momento quer estudar o quê. O currículo escolar deixa de ser uma representação de conhecimento fragmentado e distanciado dos problemas que eles vivem e das questões que necessitam responder em suas vidas. Assim, o conhecimento passa a ganhar mais sentido na vida individual e coletiva. Nesse sentido, a curiosidade e o brilho nos olhos por um tema é o que motiva o estudante a querer pesquisar e desvendar o que lhe é desconhecido. Muito diferente da matéria lecionada de forma impositiva a uma classe desinteressada.

As crianças colocam as mãos no colo, fecham os olhos, respiram e agradecem pelos alimentos antes do lanche. Na hora de comer, a educadora os convida para silenciar e saborear cada mordida.

A vida só existe no presente

“Afinal, as crianças não estão, num dado momento,
sendo preparadas para a vida e, em outro, vivendo.”
—John Dewey (1859-1952)

A equipe de educadores (super motivada!) se orgulha em afirmar que a Vila Verde não prepara o aluno para o futuro, mas para a vida que acontece agora, momento a momento. É nesse vivenciar integral do presente que a criança poderá ser o adulto que ela mesma regou com suas qualidades: curiosidade, criatividade, reflexão, acolhimento e respeito por si, pelos outros e pela natureza.

Nessa escola adornada de céu e rodeada pela delicada beleza do Cerrado, a comunidade da Vila Verde vivencia, a cada dia, a felicidade e a cultura de paz que existe e está disponível para quem tem olhos para ver e ouvidos para escutar.


A Escola Vila Verde é uma escola particular que atende crianças de 3 a 6 anos da educação infantil, na unidade urbana, e crianças de 7 a 12 anos do ensino fundamental, na unidade próxima ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, no município de Alto Paraíso de Goiás (GO).

Fundada em 2000 por um grupo de pais e mães, a escola intencionava oferecer uma educação diferenciada às crianças da região. Em 2013, a instituição passou a integrar as ações do Instituto Caminho do Meio, sob orientação do Lama Padma Samten. Em janeiro 2016, foi reconhecida pelo MEC – Ministério da Educação – em Educação Inovadora e Criativa – sendo a única no Estado de Goiás em ensino fundamental II e uma referência nacional aos demais ciclos de educação.

Em 2016, passou a compor também o grupo de Escolas Transformadoras, selecionadas pelo Instituto Alana (Brasil) e Ashoka (Global), configurando uma entre pouco mais de duzentas escolas no mundo todo e cerca de vinte no Brasil.


Saiba Mais

  • Confira o texto de Fernando Leão para a Bodisatva sobre a experiência da aplicação as Cinco Inteligências na Educação na Escola Vila Verde neste link.
  • Assista ao documentário “Janelas Inovadoras”.
  • Entre em contato com a escola pelos endereços (basta clicar nos hiperlinks):

Sites: https://www.icmap.com.br/escola-vila-verde
http://escolastransformadoras.com.br/escola/escola-vila-verde/
Facebook   |   Instagram   | YouTube


Apoiadores

2 Comentários

  1. Ellen disse:

    Como faz pra fazer parte disso?

  2. Ormando disse:

    Lindo texto, muito inspirador 🙂

    Fico feliz de ver que existem alternativa ao ensino convencional ^^

    Conheço pessoas que gostaram da escola (“fiz amig@s lá”, elas dizem), mas eu preferia ter aprendido mais sobre a terra e menos sobre como ser uma pessoa alienada…

    Feliz que hoje podemos aprender sobre assuntos “pouco populares” pesquisando e estudando através das janelas que a internet nos abre, e com @s professores(as) que estão usando estes meios rsrs ^^

    “não prepara o aluno para o futuro, mas para a vida que acontece agora, momento a momento.” isso é maravilhoso! ^^

    Grande abraço ^^ gratidão pela matéria ^^

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *