Foto: Porapak Apichodilok

Fé no Clima

Movimento inter-religioso discute questões climáticas e espiritualidade na América Latina

“O coletivo, a agregação, a egrégora, o diálogo, a sanga, a interlocução, a confraternização, a missa, o culto, a celebração, o ritual, o símbolo, as diferentes interpretações, a comensalidade, o embate de diferentes visões precisa acontecer para que a haja transformação social”.

Esta é a fala de Maria Rita Vilela, professora da PUC-Rio e fundadora da iniciativa Fé no Clima, do Instituto de Estudos de Religião (ISER), que reúne diferentes líderes religiosos em debates sobre mudanças climáticas e atividades espirituais.

Ano passado, a segunda edição da iniciativa inter-religiosa reuniu líderes como o Pastor Ariovaldo Ramos, Pastor Timóteo Carriker, Flavia Pinto, André Trigueiro, Dolores Ayay Chilón, Mãe Beata de Yemonjá, Kọ́lá Abímbọ́lá, Padre Josafá Carlos de Siqueira, Reverend Fletcher Harper e o Lama Padma Samten.

“Tomem consciência e amor pela questão ambiental. Sem a água, ervas e plantas perfeitas não vivemos. Orixá é vida, é amor, como é a natureza. O universo está chorando. Que heranças nós vamos deixar para nossos adolescentes? Em nome de Olodum, tomem isso como um pertence de vocês. Passem para outras pessoas e reservem um minuto para criar uma discussão sobre a questão ambiental”, diz a Mãe Beata de Yemanjá, Iyalorixá Omi Ojuarô, fundadora do terreiro Ilê Omi Ojurô, personagem histórica do movimento inter-religioso do Rio de Janeiro, líder feminista de religiões afro-brasileiras.

O Lama Padma Samten assinou a declaração e compromisso Fé no Clima, documento produzido em 2015 no encontro internacional que dialogou sobre a relação da espiritualidade e meio ambiente.

“Sua Santidade Dalai Lama diz: desenvolva uma relação apropriada conosco mesmo, com as outras pessoas, a natureza e com as autoridades. Esse é o caminho da felicidade. O equilíbrio vem disso. O caminho da liberação inclui uma relação direita com natureza, de demandarmos o mínimo não só dos outros, mas também da natureza. A simplicidade de vida está ligada a energia que nos alimenta e na medida que somos alimentados por essa energia, a simplicidade é possível. Assim ela é vista como uma liberação”, diz o Lama Samten, na gravação do testemunho sobre mudanças climáticas dirigido para a comunidade budista.

Desde 2015, o Fé no Clima promove o compartilhamento da visão de lideranças de diferentes comunidades religiosas e práticas sagradas sobre as percepções e ações em relação às mudanças climáticas no Brasil e no mundo.

fé no clima

Registro do Encontro Internacional Fé no Clima, 2015. Arquivo de imagens — Fé no Clima

Convergência Fé no Clima – Águas Sagradas

Agora, o Fé no Clima e a ONG norte-americana GreenFaith realizarão, entre os dias 30 de abril e 5 de maio, no Rio de Janeiro, o encontro multi-religioso Convergência Fé no Clima — Águas Sagradas, com o objetivo de fortalecer e engajar uma rede inter-religiosa de jovens da América Latina com atuação e incidência local em agendas direcionadas às questões ambientais.

Serão cinco dias de encontros com 50 lideranças reunidos em palestras e workshops visando o estabelecimento e a mobilização de uma rede latino-americana inter-religiosa, plural e diversa, que trabalhe agendas locais ligadas ao tema das mudanças climáticas. Com ênfase nas questões hídricas, se buscará impulsionar o fortalecimento de uma rede latino-americana, fomentando ações locais e regionais de incidência política e reunindo militâncias religiosas e ambientalistas.

Veja o documentário com depoimentos de lideranças religiosas e suas visões de mundo:


Saiba mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *